Día 8 de fevereiro todas a Compostela a defender a nossa lingua

A poucos dias da manifestaçom pola língua recuperamos um excelente artigo de opiniom de Pim Patinho:

Um idioma é a cosmovisom dumha comunidade de falantes. Cada idioma apreende-nos umha certa conceiçom do mundo e com ela transmite-se parte do pensamento, do jeito de agir e sentir que tem umha sociedade. Ao mesmo tempo a língua actua no interior da pessoa, servindo de veículo de articulaçom do pensamento conformando o que chamamos funçom de identidade.

A medida que apreendemos…

Continuar a ler

A sexta-feira 30 de janeiro ás 20:30 Projeçom do documentário ‘As Silenciadas’


silenciadas CANCELADOA Assembleia Feminista Galega (AFG) projeta o documentário de Pablo Ces, com posterior debate a sexta -feria 30 de janeiro ás 20:30h no Centro Social a Revolta, na rua Real 12 em Vigo.

A partires das investigaçons de Aurora Marco, da-lhes voz num audiovisual às mulheres, com um título que resume perfeitamente como foi a sua vida, ‘As Silenciadas’

 Desde a AFG, queremos resgatar a memória das mulheres que  conformam essa estirpe de rebeldes silenciadas que forom tecendo a Nossa história.

Com todas estas mulheres, milicianas, exiladas, fugidas, represaliadas em geral, temos umha dívida histórica: recuperar o seu pasado

Nós faremos todos os esforços que poidamos no objetivo de recuperar a Nossa História desde umha perspectiva de género 

 

Assembleia Feminista Galega: “Precisamos de ideias e vontade para derrocar o patriarcado”

açom decembro 4 Em julho de 2014 apresentava-se publicamente em Vigo a Assembleia Feminista Galega  (AFG) com um ato simbólico de denúncia do terrorismo machista, e desde entom a sua  atividade nom deixou de crescer.

 Além da organizaçom de atos próprios e da participaçom em mobilizaçons populares, as  mulheres da AFG venhem organizando encontros em diferentes espaços da cidade olívica  para se darem a conhecer entre o tecido associativo do País. Falamos com elas sobre as  origens da Assembleia, os seus posicionamentos e propostas e, como nom, sobre açom  feminista.

A primeira pergunta é obrigada: como e por que nasce a Assembleia Feminista Galega?

A Assembleia Feminista Galega (A.F.G.) começa a caminhar pola necessidade de construir na Galiza um espaço comum que acolha todas as mulheres que tenham a inquiteaçom de pôr em marcha umha organizaçom feminista assemblear.

A.F.G. é um projeto em construçom, umha organizaçom com funcionamento horizontal, de adscriçom individual, democrática e de ámbito Galego.

Queremos ser umha organizaçom onde se combinem debates e reflexons teóricas com o ativismo e a açom.

Por agora vimos funcionando só em Vigo desde julho, mas aspiramos a que AFG chegue a ser umha realidade em toda a Galiza, pois a luita feminista é hoje mais necessária do que nunca.

para ler máis